1 de mai de 2009

01/05/94: Como foi pra você?

"Domingo. 1º de Maio de 1994. Eu tinha 11 anos.

Como todos os fins de semana de Grande Prêmio, coloquei meu despertador pra tocar 10 minutos antes da corrida começar. Acordei, lavei o rosto, tomei meu Toddy e me enfiei debaixo dos cobertores novamente pra esperar a largada.


Sempre fico apreensiva nas largadas, parece até que sou eu quem está lá na disputa. Meu coração acelerado viu como Ayrton Senna mantinha a primeira posição depois da largada, com Michael Schumacher, naquele momento "O Inimigo", logo atrás.

E isso foi tudo. Na segunda volta da corrida, o acidente. Lembro-me bem do Galvão gritando "Senna bateu forte!".
Naquele momento, meu coração, tão acelerado em momentos prévios, quase parou. A respiração era profunda. "Mexe a cabeça", disse Galvão Bueno. Tudo parecia estar bem. Mas aí vieram os minutos intermináveis sem ajuda e o desespero havia apenas começado.

Peguei uma foto do Senna que tinha pregada na porta do meu armário e comecei a orar. O sangue evidente e a incerteza do que realmente estava acontecendo fizeram minhas lágrimas saltar.


Chorava sem parar quando minha mãe me abraçou e tentou me confortar, sem muito resultado. Fiquei em frente a Tv, orando desde a manha até as 6 ou 7 horas da noite quando Roberto Cabrini apareceu no "Plantão da Globo" e anunciou o que ninguém queria ouvir: "Morreu Ayrton Senna da Silva".

Com 11 anos de idade e recebendo a pior notícia de minha vida até aquele momento, vocês podem imaginar o que sucedeu a seguir: Chorei desconsoladamente.


O pior de tudo é que tinha uma festa de aniversário de uma "amiguinha" pra ir logo a noite e, na condição de criança, fui obrigada a ir.

Passei pela casa da minha Lelita - sim, como ela é espanhola a chamamos de forma diferente - e não quis falar muito. Tomei um leite quente com poucas palavras à mesa.


Meu dia terminou na casa da "amiguinha", porém, não festejando e brincando, mas sentada em um sofá de frente pra Tv, revendo imagens no Fantástico ainda incrédula. Precisava acreditar que aquilo era verdade.


No dia seguinte não fui ao colégio e quando fui, recebi os "pêsames", pode? Mas enfim, o dia 1º já havia acabado e a história de um dos piores dias da minha vida chegava ao fim..."


Hoje completam 15 anos do aniversário de morte de Ayrton Senna da Silva. Um herói para muitos, uma imagem magnificada para outros, porém não há dúvidas de que para os amantes da Fórmula 1, o 1º de Maio de 1994 foi o dia em que um país, ou porque não, o mundo, chorou.

Esse dia ficará marcado pra sempre como o dia em que o Herói virou Mito.

E pra você?! Como foi o dia 1º de Maio de 1994?

Deixe seu relato!

***Post sugerido pelo leitor Eduardo de Campos***

63 comentários:

Acordei como de costume uma hora antes da corrida, morava ainda com meus pais apesar de ja casado.
Iria jogar bola depois da corrida, como sempre.
Fiz meu café, tomei em frente a TV e comecei a ver a corrida. Na setima volta ocorreu tudo.
Não fui jogar bola, não sai da frente da TV, e eu nem era o maior fã do Senna.
Foi chocante, eu nunca tinha visto uma morte na F1 e achava que aquilo era coisa do passado.
Mas prefiro lembrar dele sendo ultrapassado pelo Piquet na Hungria, ou emergindo de braços erguidos após vencer um gp do Brasil...

Eu resolvi por no meu blog o que teria acontecido casa ele tivesse sobrevivido.

Eu havia mudado há pouco para Belo Horizonte.Fui assistir a corrida na casa de meu irmão Márcio.O final de semana já estava meio que macabro.Meu avô chegou na sala e disse :'Éh, Márcio, todo morre.Menos o Senna!'.Começou a corrida e o Galvão narrando assustado:'O Senna bateu forte!Bateu forte o Senna!!!'.Ficamos apreensivos.Previ o pior já que o Senna sempre saía rápido do carro quando sofria acidentes.Devia estar inconsciente.Quando mexeu a cabeça, meu irmão gritou;"Tá vivo,graças a Deus!'Eu comecei a chorar.NInguém chegava perto do carro.Desgraçados, não vão socorrê-lo, não?!?
Meu tio chegou na sala e disse:É, Márcio.O Senna ó, se ferrou!Pensamos em partir a cara daquele insensível.O telefone tocou.Meu pai ligou de Brasília preocupado conosco.Principalmente com a minha irmã Cristina, fã de carteira do Ayrton.Ela não estava em casa.Tinha ido a Feira da Av. Afonso Pena com minha mãe.Fui correndo para casa para esperá-la, que chegou nervosa.'Dudu, fala pra mim que é mentira!O Senna não pode morrer!'
Não disse nada.Apenas abracei-a e choramos juntos.Nunca perdemos nenhum parente ainda.Imagino que a dor seja parecida.Ficamos o dia inteiro esperando os plantões da Globo com notícias.Rezávamos desesperadamente.Quando o Cabrini disse que foi necessária uma traqueostomia, que ele respirava com dificuldades, ficamos mais nervosos.Ainda achava que o Cabrini diria dizer que aconteceu um milagre e ele estava bem.
Morte cerebral anunciada.Caos completo.Passei mal.Lembrei do acidente do Piquet em Indianápolis e como sofri com sua aposentadoria.Mas agora era pior.Não mais teríamos a Ayrton Senna da Chuva.Me arrependi dos comentários maldosos que fiz para pegar no pé da Tina.Chamava ele lá em casa de Pato.Perguntaram se o Piquet gostava de correr na chuva como o Senna.Ele teria dito que não era Pato para gostar de água.Que IDIOTA eu fui, lamentei.
Lembro que nem fui namorar neste domingo.Fiquei quatro dias sem ir a aula só para ver o Jornal Nacional.Sofri muito.Escrevi uma redação no colégio sobre ele que ficou o mês inteiro no mural da secretaria.Todo mundo vinha falar do Senna comigo.Até quem não me conhecia.Achava estranho.
Vou ficar por aqui.Meu coração está acelerado.Parece que estou revivendo tudo.E morrendo mais um pouco com ele.Fico imaginando como seria bom tê-lo por mais tempo.Mas Deus não quis.O Renato Russo escreveu certa vez:"Os bons morrem jovens..."O jovem Senna se foi para Deus.Saudades

Comecei meu domingo como todos os outros num dia de GP: animado para ver nosso campeão no lugar mais alto do pódio.

A tarefa não era fácil porque o Willians era um carro "nervoso". Mas, sendo Senna, era um desafio.

Logo após o carro ter guinado para a direita e ter batido no muro da Tamburello, fiquei sem ar. Com o movimento da cabeça, fiquei aliviado por alguns instantes. Mas, pura ilusão. A tensão tomou conta de mim com o gravíssimo acidente.

Fiquei praticamente o dia inteiro grudado na tv esperando notícias de Ayrton. Quando Roberto Cabrini anunciou a morte de Senna, foi uma porrada! Por mais que fosse verdade, nunca passou na minha cabeça a morte do meu herói.

Na época, trabalhava próximo da Assembléia e não tive coragem de prestar minha homenagem. Não estava bem.

A partir deste dia, a F1 perdeu um pouco da graça. Ainda assisto os GPs, mas falta algo. Um brasileiro obstinado, cheio de garra e verdadeiramente patriota!

Bóm amigos...o que eu teria a dizer..eu já escrevi no outro post abaixo. Mas vou lhes lembrar quê??? Hóje,15 anos já se passaram e o mundo também mudou!!! Não adianta um piloto brasileiro,chegar a f1...e fazer "sambadinhas,vestir macacão e usar capacetes personalisados com as cores do brasil" Se no final,não for CAMPEÃO.

Era meu primeiro ano de formado (eng. agrônomo)... Tinha voltado para casa e estava trabalhando na fazenda de meu pai (até hoje)... Nunca tinha perdido uma corrida do Senna, mesmo nos momentos mais impróprios, lá estava eu, como uma vez no Aeroanta em Curitiba, que passou uma corrida no telão e só fui à festa porque iria passar a F1 de madrugada, GP da Austrália... Era zoado pelos amigos de faculdade pela paixão pelas corridas...

Mas naquele sábado de Ratzenberger eu não sabia que tinha treino, dei bobeira, nem que teria corrida no domingo... Estava apurado na fazenda e choveu ao meio dia... Um amigo ligou de Foz do Iguaçú e convidou para passarmos o domingo lá, eu a ex-namorada e uma amiga dela, aceitei, deixei marcado...

À noite meu pai disse: "você viu que morreu um cara no treino de F1 hoje"... Aquilo foi um choque para mim, "treino???"... "Vai ter corrida amanhã???"... Como tinha dado minha palavra não desmarquei a viagem...

Saímos de madrugada e próximo da hora da corrida, ainda na estrada, tentava sintonizar alguma rádio que trasmitisse a corrida, tudo em vão... Quando chegamos à Foz um locutor da Jovem Pan deu o aviso do acidente, nada grave pensei, "não perdi nada"!!!

Depois as notícias trágicas foram chegando e meu amigo "Libanês" não entendia toda a veneração que as pessoas tinham por ele... Nas cataratas era comum grupo de pessoas abraçadas e chorando... O clima era de um velório nacional... Depois ele me ligou que assistiu a tudo na TV e até chorou...

Não almocei, enchi a cara, até esqueci da viagem da volta, e eu era o "piloto"!!! Não via a hora daquele dia acabar e poder voltar para casa, ficar em frente à TV e saber dos detalhes da tragédia...

Na volta parecia que os 250Km tinham se transformado em 2.500Kms, não chegava nunca... Chegamos exatamente na hora do início do fantástico (na casa da "ex")e não saí da frente da TV até a hora em que acabou toda a programação... Tinha até esquecido de avisar meus pais, preocupados com meu estado emocional para voltar dirigindo e a falta de notícias, já era madrugada...

Os dias seguintes foram um "velório prolongado"... Parecia alguém da família... Dói até hoje... Na festa de um ano de formados a primeira coisa que os amigos perguntavam era como eu estava... "Estou bem porquê???"... "Por causa do Senna", era a resposta...

Fiquei mais de 10 anos afastado da F1 depois disso, a F1 era algo que me dava alegria, não a queria com fonte de tristezas, se bem que não perdi nada nesse tempo!!!

Aí o tempo me fez amigo do Rafael Sperafico e jamais imaginava que o cara que me fez voltar a gostar de F1 me faria passar por um segundo, e bem pior, momento das pistas... Isso me fez imaginar quão duro foi o ocorrido para as pessoas mais próximas do Ayrton... Tenho certeza que dói muito até hoje...

E esse foi o único GP da carreira do Ayrton na F1 que não assisti... O destino me reservou apenas os bons momentos de sua carreira!!!

Ah, Latueiro, mas o brasileiro tem isso de sempre buscar um sucessor para o Pelé, Zico, Senna...O problema é que colocam suas atenções para qualquer "Zé Roela 1B".Tem talento mas não soube se administrar.Se corresse mais e reclamasse menos, hoje seria campeão mundia.Com certeza.

Agradeço a todos por compartir esses momentos com a gente aqui no blog.

Nunca falei sobre esse tema com ninguém e como sugestao do Eduardo, para lembrar esse dia tao triste para todos, resolvi que seria o momento certo em falar, apesar de nao gostar.

No mais é como o Ron Groo comentou: o importante é lembrar dos momentos de alegria que este grande piloto nos deu.

(Pri, eu juro, nao copiei a sua ideia, mas eu ja tava pensando em botar um "O que vc fazia em 1 de maio de 1994")
Eu tinha 5 anos de idade. Estava com a minha família inteira na sala para vermos o ídolo nacional (quer dizer, menos para o meu avo, que era fa do Piquet). Quando Ayrton bateu, meu avo falou: "Nao disse que era um piloto de m****" e foi fuzilado pela família inteira. Ninguém sabia o que havia acontecido e isso era angustiante. Na hora que a notícia veio, um choque: minha mae, meu pai, avó, tia e eu chorando na sala. Meu avo tentando consolar a família e o povo jogando na cara dele que o "Piloto de m****" tinha morrido. Naquele dia ele se arrependeu do comentário maldoso dele. Na minha inocencia infantil, tentei fazer a minha mae parar de chorar falando que "no outro domingo teria corrida,e lá ele venceria novamente". Eu piamente acreditava que ele nao tinha morrido, que voltaria a correr, que veria a bandeira tremular novamente após a corrida. O velório foi pior ainda. Pela tv via aquilo e nao acreditava. Sao Paulo totalmente parada apenas para ver o caixao dele passar. Pessoas que nunca o viram para mostrar solidariedade à familia. Isso eu acho que nunca vou esquecer.

Olha EDUARDO E B`HENGLER...O NELSINHO,falou tudo!!! SENNA,SPERAFICO,RATZENBERGER,L.JUSTINO,VILLENEWVE E OUTROS...? Todos morreram fazendo o que gostavam!!! E ém 1994??? o mundo também parou para ver...? Esse mito de banda,chamada de PINK FLOYD...Eu também parei e pennsei comigo...A VIDA CONTINUA....!!!

Nesse ano tinha meros 5 anos de idade, mas já era fanático pela F1. Morando em Brasilia não perdia nenhum treino e corrida, nem quando ia com minha família para o clube, onde tinha feito meu pai conseguir com o gerente de lá disponibilizar a transmissão das corridas.

Toda corrida, acordava 1 hora antes, pegava meu boné do banco Nacional com o autografo do Senna e a bandeira do Brasil e ia para frente da TV junto com meu pai ver o Senna lutar pelas vitórias.

Mas naquele dia 1° de maio de 1994, viria acontecer o acidente do meu ídolo. Me lembro como se fosse hj, estava em casa, aqueles momentos de angustia após a batida, a falta de informações. Não queria mais saber de nada, passei o dia lá em frente a tv, apreensivo, sem comer e sem beber agua, só esperando a boa noticia de que ele estava bem, mas essa noticia não veio e a confirmação de sua morte foi o fim. Chorei muito, não conseguia mais fazer nada. Meus pais tentavam me animar, mas nada fez a tristeza passar. No colégio, varios colegas e professores me davam os pesames por saberem que eu era louco pelo Senna. Só o tempo iria curar, e eu diria que até hoje não passou. Toda vez que toca o Tema da Vitória nas vitórias brasileiras, meu coração para de bater e as lagrimas vem a tona novamente.

Acompanhei o desfile do caixão do Senna em Brasília, meus pais não queriam me levar, mas eu tiveram q me levar porque isso era importante para mim. A despedida foi dificil, corri para ver o carro do corpo de bombeiros o mais perto possivel, carregando comigo a minha bandeira do brasil e o boné do Ayrton, e chorando. Nunca vou me esquecer desses momentos. Fiz meu pai me carregar nas costas durantes horas até não ver mais o caixão do Senna.

Depois desse dia, parei de ver a F1 por alguns anos, não via mais graça em acompanhar sem ter o Senna la correndo.

O fato é que todos lembramos, com detalhes muitas vezes mais vivos do que os que retemos do jantar de ontem.

correção:

Acompanhei o desfile do caixão do Senna em São paulo.

Não há ninguém que não se lembre do que estava fazendo naquele dia.Mesmo que não gostasse ou acompanhasse a F1, com certeza viu o sofrimento de alguém ou se irritou com a tremenda cobertura jornalística.Infelizmente,creio eu, apareceu ali a primeira celebridade brasileira: Adriane Galisteu.Que nojo ver como ela se aproveitou da "viuvês" para ganhar as páginas das revistas sensacionalistas.Até cueca do Senna ela mostrou!!!Disse que nunca mais ia a um autódromo mas foi "flagrada" pela Caras na curva Tamburello.Tenha dó!...

Esses lances fora das pistas nunca forma o meu forte... O Senna que importava era aquele de capacete amarelo que virava a cabeça para o lado interno da curva...

O que mais me impressionou depois de sua morte foram os exemplos que ele demonstrou fora das pistas... Suas ações filantrópicas que até então ninguém sabia... Ele fazia aquilo anonimamente e não para se promover como é comum observar no dia a dia de determinadas "celebridades"...

Talvez por isso tenha sido criado este mito em torno do seu nome... Porque se tivesse saído ileso do acidente, poderia ter sido campeão mais uma dezena de vezes que não teria o reconhecimento público que tem hoje...

Bomba!!!

Bernie Ecclestone vai reativar a saudosa equipe Brabham para ter como pilotos o inglês David Beckham e o argentino Gabriel Messi.
"Na Fórmula 1, não temos um Messi ou um Beckham, que promovem o desporto que praticam como ninguém, ao contrário do que sucede na Fórmula 1 onde a quase totalidade dos seus pilotos, especialmente os mais famosos não se esforçam para promover o desporto. A Fórmula 1 precisava de estar representada em todos os grupos e por isso era preciso uma mulher, de preferência negra e judia...!"
E outra: "[Os pilotos de Formula 1] são meninos estúpidos, porque quanto melhor é o espectáculo, melhor será para eles no futuro, quando abandonam a competição e podem seguir fazendo negocios nos circuitos". (Retirado do Blog Continental Circus)
Intervenção já para esse decrépito gagá!!!!!

Eduardo, to rindo da sua BOMBA, mas uma correcao: O Messi chama Lionel e nao Gabriel (Gabriel era o Batistutta).

Obrigado pela correção, Carol.E eu quase escrevi Diego Armando Marad...Messi.
Essa notícia foi para o Latueiro, que escreveu ontemsobre mais uma insanidade da velha gagá.

E sobre o acidente...

Apesar de toda investigação comprovar que o problema foi a barra de direção que se quebrou, sempre tem quem acha que foi suicídio ou que o carro tocou o chão e ficou no "ar"...

Mas as imagens transmitidas pelo carro segundos antes do acidente não deixam dúvida, ele virou a direção para a esquerda e os pneus continuaram em linha reta, o que derruba aquelas duas teorias absurdas...

O fato do carro tocar o chão até pode ter contribuido para quebrar aa barra de direção, mas aí nós jamais iremos saber ao certo...

B'Hengler, há uma teoria de que o Piquet teria jogado uma casca de banana na pista também.
Alguém disse que a justiça italiana, em vez de confiscar o carro acidentado, deveria ter pego o carro reserva do Senna.Aí teria certeza do ajuste desastroso na barra de direção.
Falando sério, creio que o acidente ocorreu por uma série de fatores, como num acidente aéreo.
Nunca saberemos porque ele estava tão sério antes de entrar em seu carro.Premonição?Duvido.Preocupação?Com certeza.
O melhor piloto, no melhor carro tomando pau de um quase novato!Além é, claro, dos dois acidentes ocorridos.
Mas tudo ocorreu certamente para que ele entrasse definitivamente para a história como o Mito que nunca será esquecido.

Estava na casa de meu avô, como em todos os domingos. Senna bateu, lamentei, achando ser mais uma batida normal. Os acontecimentos seguintes foram tão absurdos que parecem ter sumido de minha memória. Lembro-me apenas da notícia oficial, Senna está morto. Aos 13 anos, me ausentei da sala, deitei-me na primeira cama que encontrei. E chorei, como se tivesse perdido um parente próximo. Inesquecível esse dia.

Hoje é fácil ter provas do que alguém diz, graças à Dona Interneta.
Ventilou-se na época que o Senna teria se sacrificado em nome da segurança de outros pilotos(novo Tiradentes?).O suicídio foi a mais absurda teoria que ouvi.Mas, B'Hengler, você tem razão.Muitos falaram e, pior, acreditaram.Só faltaram acreditar na Teoria da casca de banana.

Priscilla,
Para mim, na hora que ocorreu o acidente, foi a sensação de que algo muito ruim tinha acontecido, o que infelizmente veio depois a se confirmar e foi um choque. Paralisia.

Mas eu gosto de lembrar é do Senna pilotando, brigando com o Mansell e fazendo aquelas poles do outro mundo: sentava no cockpit, 1 única volta depois de todos os outros pilotos, ele ia lá e cravava...
http://vimeo.com/4271743
Bjs,
Henry

No final das contas ele acabou ficando um "Tiradentes" moderno, indiferentemente da causa do acidente...

Mas aquela bandeira da Áustria que ele guardava como surpresa seria "emoção pura" ao final da prova!!!

Uma pena...

Queria ter guardado todas as revistas da época.Aí teria como mostrar para vocês as barbaridades que li.Mas o pouco que lembro espero que sirva para dizer-lhes que foi uma F1 maravilhosa.Quem dera ter de volta Senna, Piquet, Prost, Mansell(hahhahahahahahah),De Cesaris(por que não?)

Esse vídeo que o Henry postou da qualify de Suzuka 1991 é uma obra prima...

Reparem como ele briga com o carro... Hoje os pilotos tem uma condução limpa, sem "golpes" no volante... Isso porque estão muito longe do limite do carro...

O Senna com um carro atual daria trabalho para qualqeur um do grid, mesmo velho...

B'Hengler, caro amigo!"Se" o Senna ganhasse aquela corrida e erguesse a bandeira da Austria...Sinceramente, já imaginou o que seria do Senna?Talvez um Semi-Deus da F1?Nunca uma ação seria tão comentada e guardada para a história.Eu, por Deus, queria ter visto...

Sem desmerecer o Senna.Mas o Lauda disse nos anos 90 que até um macaco pilotaria um carro de F1.Quando foi testar um carro da Jaguar...que decepção!Talvez o Micaelmacaco Schumacher ganhasse..

Esse video do Ayrton em Suzuka mostra o quanto ele pilotava, vejam as trocas de marchas, a forma que entrava nas curvas. Imaginem agora ele com esses carros atuais, faria miseria concerteza.

O cara tava num patamar muito acima desses pilotos atuais, onde praticamente os caras só tem o trabalho de acelerar.

Verdade Raphael...

Tinha esquecido o detalhe da troca de marchas manual...

Realmente muito bom o video, Henry.

Faço minhas as suas palavras do último comentário Raphael.

É lindo ver essas imagens on-board!

Talvez seja isso o que falte à F1 de hj em dia. Permitir aos pilotos chegaram verdadeiramente aos seus limites.

O Button, por exemplo, só falta por "o braço pra fora";)

Acabei de ver o vídeo do Henry.Caramba, que saudade...Sinceramente, eu, como Piquetista que era, o Senna apenas era um piloto, como posso dizer...genial.Comparando com os nº1B de hoje, é só colocar em "D" e acelerar...

Vejo que teremos muito assunto ainda.!! Eduardo...na verdade quando mencionei mais uma do Ecclestone? Ao que parece, ainda não foi divulgado. Más ém si tratando de brasil...vai ser mais uma festa na midia. Se já saiu...eu não vi.[O todo poderoso chefão da f1,B.Ecclestone, teceu varios elogios ao piloto brasileiro F.Massa! Hóje tém cara e atitudes de "campeão"...Mas não se sabe o por quê...ao mesmo tempo disse que se tém um piloto na atualidade,que ném se for para uma equipe bóa...vencerá corridas é Nelsinho Piquet.] Se for verdade. Comprou briga exataménte com quém lhe deu condições e estatos de dono de equipe BI-CAMPEÃ DE F1. NELSON PIQUET. O interessante é que esse episódio vém logo após..o bobardeiro sofrido por Barrichelo, após o gp do Bahrein juntamente com a equipe Brawngp. Podéria ser uma forma de desviar as atenções para outro rumo. Já que demostra muito interesse ém tudo que se relaciona a equipe BRAWNGP. L.HAMILTON..? vice ém 2007,campéão ém 2008...esse incomoda muita gente dentro e fora das pistas. Mas NELSINHO PIQUET...??? ném conseguiu se firmar ainda na categória...mas parece que incomoda muita gente também. O jeito é aguardar e ver no que vai dar. OPINIÃO DE QUÉM JÁ ESTEVE,ÉM U.T.I POR 5 VEZES COM "HEMORRAGIA DIGESTIVA" E AINDA ESTÁ AQUI ATÉ HÓJE TRABALHANDO E BATENDO PAPO COM VOÇÊS. "SENNA FOI NAQUELE DIA E NAQUELAS CIRCUNSTANÇIAS POR QUÊ...ERA O SEU DIA. Eu acredito.

Esse video aqui é muito bom:

http://www.youtube.com/watch?v=PZgjOKyia9E&feature=related

Olá Priscilla!!!

Era muito fã dele, mas... aquele, justo aquele dia, não acordei para ver a corrida.

Quando acordei corri para sala e liguei a TV e já havia acontecido o acidente!

Por um lado foi bom, pois se tivesse visto acho que infartava!!!

Até mais...

Esse vídeo de Donington é bem legal ver o talento do Senna na chuva. Mas o texto no vídeo foi meio infeliz não porque o Senna mostrou q tinha ponto de ultrapassagem, mas sim pq em toda corrida com mista molhada até o meio de uma reta vira ponto de ultrapassagem hehehe

Bem, na época eu da morte dele eu tinha cinco anos e sempre assistia junto com o meu pai. Na hora só estcutava os comentários da tv sem entender muito. Daí o meu parou de assistir e eu tbm perdi o interesse q só fui resgatar lá na temporada de 1997.

Só para finalizar.O Senna tinha um defeito,sim.Torcia pro "Curíntia", meu!

Eduardo...
Ninguém é perfeito... Ninguém... Uashahhsaushahsua... Claro que o Senna não era perfeito, nem mesmo como piloto, mas ele deu um trabalho danado para todos os seus adversários, indiferente de seu carro ser bom ou não...

Primeira volta em Doninghton Park...
Tudo bem que na chuva as ultrapassagens ficam mais fáceis, mas por fora na curva em duas oportunidades foi a primeira vez na história... Lembro que o Fitipaldi disse que o Senna inaugurou uma nova forma de ultrapassar na F1, que parecia F-Indy... E de fora parecia fácil, mas quando se compara as três filmagens diferentes da volta "mágica" percebe-se o quanto faltava motor e sobrava "braço" naquele McLaren número 8!!! Entrava lançado nas curvas, ameaçava por um lado e ia por fora, e freava balançando o carro prá todo lado, numa demostração de capacidade invejável...

Fãs do Piquet...
Amanhã tudo volta ao normal... Hoje o melhor é ficar longe da net... Uahushashsasahushashua...

Alguns momentos marcantes que ficaram de fora, em 1988 Senna fez a pole em Mônaco com 1,5s de vantagem sobre Prost... Isso é uma semana de diferença!!!

Aí em 1989 ele deixou o francês 2s mais lento em Mônaco!!! Aí foi um mês de diferença...

Eu gostaria de encontrar um resumão das corridas de todas as temporadas disputadas pelo Senna, desde as categorias de base até o ápice, a F1... Isso seria fantástico para as novas gerações que não tiveram a felicidade de acompanhar ao vivo o "maior piloto de todos os tempos"...

Quém torcia por Piquet...também torcia por Senna. Hóje mesmo aproveitei para correr, com o Senna na temporada de 1991 do gp4. É simplismente um SHOW.

Latueiro...
Tenho certeza disso, é só uma provocação idêntica ao que tinha na época de maior rivalidade entre os dois, lá por 85/87, quem viu jamais irá esquecer...

Uma corrida inesquecível:
http://www.youtube.com/watch?v=SRvoYAfi59Y
Aqui ele conquistou o Brasil... Repare na emoção do locutor de do R. Leme, comentarista...

B'Hengler.... Se avexe não meu caro,acima de quaquer coisa...sou brasileiro e torço sempre por eles. O Barrichelo,nunca me empolguei com ele!! Mas já que tém o mesmo carro de ponta...gostária que ele estivesse ali brigando, ponto a ponto com o Button. " PRISCILLA..?? Navegando por endereços,? encontrei um aqui do guard raill, onde alguém ganhou o mod 2009 do gp4...? e me pede o jogo gp4 original. Se o mod que ganhou foi o VASALM?? é só extrair as partes ém uma pasta e bom jogo!!! ele já vém pronto. Do contrário me avise se foi voçê ou outra pessoa do blog. Tenho o cd original...mas também um que baixei da internet com o instalador original[coisa rara] pra mim ver como posso ajudalos[as] ok

Latueiro...
Piquet e Senna eram igual GREnal, um não existe sem o outro!!!
Essa é para matar a saudade:
http://www.youtube.com/watch?v=JeYT_lXVBfw
No GP de Monza de 1987 Senna e Piquet duelaram até o fim da prova, Senna não trocou os pneus e estava no fio da navalha, errou e Piquet passou, trocaram voltas mais rápidas até a última volta, uma emoção sem fim...

Nesta prova aí aparece outra característica única do Senna, a capacidade de andar rápido com pneus desgastados... Em várias provas ele não trocou pneus e manteve o desempenho...

Outra corrida fantástica:
http://www.youtube.com/watch?v=uaIU_KfDPG0&feature=related
Simplesmente inesquecível...

B'Hengler,
Obrigado pelos links

1abraço,
Henry

Pri, pelo imenso sofrimento que esse assunto me causa, prefiro não escrever muito. Só de parar pra pensar, sinto como se tudo tivesse acabado de acontecer...

Mesmo assim, quero dizer que me emocionei muito com o seu texto. Ficou lindo...

Beijo,

B'Hengler,

Sobre aquela pole em Monaco e sobre as outras do Senna. Ele sempre deixa pra ir por ultimo e em apenas 1 volta rapida resolvia o problema.

Fazer volta rapida era com ele mesmo. Tinha corrida q era volta atrás de volta rápida. O Schumacher aprendeu com o Senna.

É verdade Raphael,

Ô homem que fazia a gente perder a respiraçao por 1 minuto e meio aproximadamente.Esse era o Senna.

Sempre na última volta, na última chance, sem chance de errar...e ele ia lá e fazia o melhor.

Ô Saudade!

O galera, verdade...
E quantas e quantas vezes ele abriu a volta a menos de 1s da bandeirada!!! Que concentração e "capacidade de acreditar na própria capacidade"!!!

Minha mãe tem um quadro de pensamentos que bate bem com isso aqui... Diz assim: "Você pode vencer pela inteligência, pela habilidade e pela sorte, mas nunca sem trabalho"...

O Senna vencia pela inteligência, pela habilidade e pelo trabalho, a sorte nunca foi muito com a sua cara...

Senna foi o marco divisório entre os pilotos de F1, após ele todos tem que entender de tudo que se passa dentro e fora do carro, foi ele quem começou a dar uma de enxerido no trabalho dos engenheiros da telemetria, os posteriores copiaram...

Calma,B'Hengler?? Eu também acompanhei ao vivo,essa trájetoria vencedora de A.Senna. Eu não sei se o youtube mostra os piores momentos de um piloto também....se mostrar,veras que são inumeros também. A midia e agente,só quer lembrar os momentos vitoriosos dele. Se a f1,fosse vivida ´so de melhores momentos...? Só PIQUET E SENNA....teriam no minimo 5 titulos cada um. Fora os que eles perderam para eles mesmos.[Agóra teve algúns comentários na internet..que não dá ném para comentar...mas vou dar um exemplo: "se jesus está sentado a direita do pai"...senna está sentado a frente ém seu cockpit.] Ai... fica dificil....NÃO ?

"FRASE DO DIA, NÃO DA SEMANA...MAS PARA O RESTO DO ANO TODO" dita por MAX MOSLEY....A f1 pode sobreviver sém a FERRARI...." pode sim...mas perde metade da audiéncia e patroçinios que lá estão!!!."

Latureiro,

concerteza o Senna teve vários erros, não só ele, mas todos os melhores erraram para conseguir chegar ao topo.

Agora não se pode discutir é o poder de concentração do Senna para extrai 1 volta rápida para largar na pole. Isso era incrivel.

O Schumacher aprendeu com ele e fez isso durante varios anos. Fico sempre aqui imaginando se o Senna não tivesse morrido como teria sido a disputa entre ele e o Schumacher com todos os avanços que surgiram depois de sua morte. Acho q teria sido a época de ouro da F1.

Olha Anônimo...
Eu já acho que a melhor coisa para a F1 é não ter equipes que usem de seu nome para barganhar vantagens... E o que mais a Ferrari está fazendo é isso... A F1 viveu seu auge dos anos 80 com a Ferrari andando entre os últimos por mais de 20 anos... Não fará falta nenhuma desde que o grid tenha mais de 20 carros!!!

Latueiro...
Não é mentira, antes dele os pilotos se resumiam em dar pitacos técnicos para que os engenheiros melhorassem o carro, já o Senna ficava horas analisando a telemetria e discutindo com a equipe a melhor maneira de regulagem do carro... Isso é fato, e por isso é considerado o morco divisório, o que não diminui a importância e a capacidade de todos os pilotos que passaram pela F1 antes dele... Hoje praticamente todos os pilotos fazem isso, exceto alguns que preferem ficar no "picolé"... Uahsausahsashshuashua...

Outra corridaça do Senna. Uma disputa incrivel entre Senna, Prost e Schumacher.

http://www.youtube.com/watch?v=EbyqlLg09bc

Mesmo com um carro muito mais fraco, Senna conseguiu segurar o Prost por varias voltas no braço.

O anônimo sou eu...meio esquecido. B`HENGLER....Concordo com voçê ém algúns pontos. Mas... como expressou um colega nosso, esses dias aqui mesmo. "já penssou se todo mundo penssase igual???" E quanto a Ferrari....tente imaginar a temporada de 2010 sém a participação dela.? Eu também não sou fã da ferrari,sou fã da equipe Wilhans...mas equanto não tiver um piloto brasileiro lã...ou um Montoya que eu era e sou fã...evito estar comentando sobre ela.

Pois é Raphael...
Foi uma corridaça... E se não é o toque do "Dick Vigarista" ele teria chegado em primeiro lugar devido à chuva nas duas últimas voltas...
O impressionante é a dificuldade que era ultrapassá-lo, mesmo com carro bem superior, como era o exemplo dos dois pilotos que disputavam posição com ele...

Priscilla...
O post hoje deveria se chamar, "ressaca de 1º de maio"... Abraços...

Ô Latueiro...
Então era você... E sabe quem disse "já penssou se todo mundo penssase igual???"??? Fui eu... Uhausahsahashsushaushua...

Passei por aqui para convidar você e todos os leitores do blog para participarem do Bolão Marcação Cerrada do Brasileirão e também da Liga Marcação Cerrada no CartolaFC. As informações estão no http://cerrada.blogspot.com

Sua participação é importante! Não fique de fora!

Abraços

Vinicius Grissi
http://cerrada.blogspot.com - Marcação Cerrada

Oi Pri!!!!
Ainda me lembro daquele dia como hoje. Ficou marcado pois foi uma semana depois do meu aniversário de 12 anos! E eu ja era fissurada por F1 há anos!! Com a aposentadoria do Prost, eu via o cempeonato de 94 como a chance do tetra do Senna. Afinal, ele na Williams não poderia deixar barato e ficar atrás do Prost em número de campeonatos!
Naquele dia também acordamos cedo, eu e toda a minha família, até a Gi que só tinha 7 anos. Ficamos vidrados em frente à TV. Na hora da largada, ele foi filmado colocando o capacete, deu uma coisa ruim, minha mae falou que parecia que ele riria correr sem vontade.
Na hora do acidente, foi um choque total! A gente torcendo pra ele levantar, sair de lá, tirar o capacete e pronto. Mas ele não saia. Meu pai, tentando diminuir o nosso desespero, falou que ele não saia porque deveria estar com uma perna quebrada, ou algo assim. Quando ele foi retirado e levado para o hospital de helicóptero, vimos que a coisa seria mais séria.
Ficamos horas esperando, até que a notícia oficial foi dada. Ele estava morto!Foi um choque! Todos em casa choraram, porque éramos todos muito fãs dele. Para mim o choque foi maior, porque desde os 6 anos de idade eu era fa dele. Só pensava no meu cofrinho de moedas, que estava cheio, eu já tinha metade do dinheiro necessário para comprar meu ingresso para vê-lo no GP BRasil de 1995!
Infelizmente, não deu tempo...
A dor era tanta, que escrevi uma redação, que acabou sendo premiada na escola.
Apesar de toda a saudade, fiz o que o Ayrton gostaria que todos fizessem, que não parássemos de assirtir à F1 que ele tanto amava. 15 dias depois, eu estava no mesmo lugar, à frente da mesma TV, vendo o GP de Mônaco. A ausência dele era tão grande, que parecia ter um buraco no grid de largada. Era duro pensar que ele nunca mais iria voltar.
Mas a 1ª vez que fui a Interlagos, em 2003, vi que parecia que ele não tinha morrido... A presença dele ainda era forte: na pista, no bairro, nas pessoas...
Daí percebi que foi melhor ter sido assim: morrer fazendo o que mais se gosta, sem provar o gosto da decepção, da decadência, do esquecimento...
Viver e morrer como um herói foi a missão dele.

É Pri...
Esse assunto não tem fim...

Se um dia alguém fosse fazer um filme de ficção sobre um piloto de F1, teria aproximadamente o seguinte roteiro:
- o piloto teria se destacado nas categorias de base como fantástico, uma promessa enorme;;;
- entraria na F1 por uma equipe inexpressiva e faria bonito em algumas corridas onde valia a habilidade do piloto;;;
- no segundo ano estaria em uma equipe média, mas com um desempenho comparável aos pilotos com carros muito melhores, ganharia algumas corridas mágicas, faria manobras improváveis e inesquecíveis, perderia várias corridas por quebra do equipamento;;;
- após penar alguns anos, por equipamento inferior ou erros próprios que serviam para o seu amadurecimento, chegaria a uma equipe competitiva;;;
- ergueria a bandeira de seu país, humilhado em uma partida de futebol, e conquistaria o coração da torcida, um gesto que seria transformado em sua marca registrada;;;
- seu primeiro título viria em uma corrida inesquecível, em que teria problemas na largada, cairia para quase o último lugar, mas se recuperaria de maneira fantástica, quase inacreditável, e chegaria em primeiro, levando o título mundial;;;
- no ano seguinte veria a força dos cartolas, que queriam que perdesse para algum piloto protegido, seria decepcionantemente roubado e até pensaria em abandonar o esporte;;;
- o ano do bi seria marcado pela vingança, ganhando com carro inferior contra os cartolas e o piloto protegido por eles, decidindo o título de maneira a dar o troco do que havia ocorrido no ano anterior;;;
- seria tri com um carro inferior e conquistaria reconhecimento mundial;;;
- teria problema em alguns anos, mas mostraria sempre a habilidade de tri-campeão, fazendo corridas memoráveis contra carros muito melhores e mais velozes;;;
- Como todo bom filme de Hollywood, o final seria o mais inesperado possível, perderia a vida correndo, liderando a prova, seria idolatrado para a eternidade como o maior de todos os tempos...

Pois é, visto desta forma até parece história de ficção mesmo, mas fomos testemunhas de que um piloto conseguiu fazer tudo isso de maneira bem real, e por isso é idolatrado pelo mundo da velocidade até hoje, seu nome: AYRTON SENNA...

PRI; na minha empresa quando vai cgegando o niver da morte do SENNA, tenho o rspeito de colocar os videos de SENNA para todos assistirem na hora do almoço acho que essa é a maior forma de reverenciar o maior idolo do brasil a para alguns do munto todo o japão e a segunda patria que mais admira o SENNA, este nome jamais o BRASIL e o mundo esquecerá. sempre estara um vazio nos corações dos apaixonados pela F1, até mais.

Lembro que na época tinha 12 para 13 anos. Como sempre acordava para ver as corridas. Vi o acidente, depois fui com meu pai até uma banca de jornal comentando que o Senna deveria ter mais cuidado. Voltamos e a coisa só piorou. Lembro da tarja preta na tv horas depois. Resumindo..foi horrível. Quem tem hj em dia 20 poucos anos ou mais sempre vai lembrar desse 1º de Maio de 1994.

Eu acho que estava em um lugar com muita água. Minto se dizer que tenho certeza. Minha irmã assistia a corrida como de prache, ela tinha 12 e o telefone tocou segundos após a noticia de que Ayrton Senna tinha vindo a falacer, no telefone alguem da minha familia que estava no hospital, pelo jeito eu tinha nascido, pelas mãos de alguns médicos que entre um tempinho de folga e outro paravam para ver a corrida e posteriormente as noticias após ela, Daniela Da Siva 15 anos, 1 de maio de 1994 recebo parabéns, e assisto homenagens na tv.

Eu tinha 20 anos na época, estava recém casada, meu marido tinha 24. Nunca fui fã de Formula 1, mas aquele domingo era especial, e meu marido me chamou para assistir a corrida ao lado dele. Fui, pois o brasil inteiro estava voltado para a aquela corrida e eu como boa brasileira que sou não quiz ficar de fora. Me lembro que foi tudo muito rapido. Enquanto fui na cozinha preparar um lanche, ouvi meu marido dar um grito: Nossa! que porrada!!! Eu fui correndo pra sala e ele já estava ajoelhado perto da tv como se quizesse ver melhor tudo que acontecia. Eu perguntei o que havia acontecido, mas ele não conseguia nem responder, só ficava balançando a cabeça como se dissesse "não". E ficou assim por muitos minutos e eu fiquei assistindo, e quando ví o que realmente tinha acontecido, fiquei muito chateada. Pronto. O domingo acabou ali. Só me lembro que toda hora o telefone tocava e era um falando do ocorrido, como se se quizesse ter certesa que tinha acontecido. Ninguem acreditava. O domingo foi tomado por um tom funebre. Foi horrivel. Mais horrivel ainda pra mim, foi que 2 meses depois, um dia após o Brasil ser tetra campeão
(18/07/94) eu perdia meu pai aos 54anos vitima de um enfarto fulminante e 1 mes após eu perder meu pai (26/08/94) eu perdia meu marido aos 24 anos em um acidente de carro. Definitivamente 94 foi o pior ano de minha vida.

Ainda bem que o tempo passou e a dor amenizou.

Jefe RS

Penso comigo, n sei oq akele cara tinha de especial, o talento na pista, ou se fosse a personalidade fora dela, mas acredito q seja a uniao forte de tudo isso. Que graca tem assistir uma corrida de F1 hoje, p mim, nenhuma. Como alguem falou aki, me sentia guiando aquela Mclaren MP4 cada vez q as luzes da largada se apagavam, akilo era corrida de F1, esperar a chuva cair, p ver a diferenca q era AYRTON SENNA, ignorancia total, como se fosse desligar os motores do adversários, lembro bem de uma corrida em que Senna tinha uma unica marcha p completar a prova, e adivinha, eu fui um privilegiado acordar cedo, e ver pela TV, um dos maiores espetaculos...
So quem viveu isso sabe....

abraco

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More