23 de nov de 2008

Pilotos e suas supertições

Todos nós sabemos o quão presente as supertições estão na vida dos pilotos.

É engraçado ver homens que voam nas pistas e arriscam suas vidas a cada instante, dando méritos - ou deméritos - a um boneco, ou camisa, ou a qualquer que seja sua mania, e que não seja às suas próprias (dis) virtudes.

Dando uma olhadinha láááá atrás na história, encontramos a história do famoso número 13, que ninguém usa na F1 atual.

Desde os inícios da categoria, em 1950, apenas 2 pilotos usaram esse número: Moisés Solana e Divina Galica, e usaram apenas uma vez, já que não voltaram a correr.

Os números pesam bastante na escolha de um piloto. Enzo Ferrari passou a odiar o nº 17 depois que seu amigo Ugo Sivocci morreu quando conduzia um carro com esse número. Para os asiáticos, o número 4 significa "morte", portanto você não verá tão cedo Kazuki Nakajima com esse número no carro.


O sete vezes campeão mundial de F1, Michael Schumacher, também tinha suas manias: Michael levava sempre com ele uma medalha dada por sua mulher seus filhos, um dia se esqueceu da medalha e fez alguém da Ferrari ir buscá-la no hotel. Outros, em troca, dizem que o grande amuleto de Schumacher era sua própria mulher, Corinna.

No quesito manias é bem complicado saber qual é o piloto mais superticioso do grid. Todos conhecem a história da famosa "cueca da sorte" do Felipe Massa, mas poucos sabem sobre as "meias da sorte" de Kimi Raikkonen. O finlandês utiliza as mesmas durante os domingos a anos. Ele lava, seca e cuida de suas meias como se fossem de ouro.

Sobre a mania de entrar com o pé direito no carro, essa muitos pilotos a compartem: Massa, Schumacher, Alonso...

E por falar em Fernando Alonso, o espanhol é um dos mais superticiosos do grid. Sempre calça o pé direito antes do pé esquerdo. Se vai bem em um Gp, no ano seguinte repete hotel, se possível número do quarto e quem sabe a comida. Se em alguma corrida algo não vai bem, tenta lembrar o que fez fora do habitual para não repetir. Fernando também faz cabalas com os números. Soma os números do seu quarto de hotel, com os de seu pai e de seu manager. Dependendo do número final sabe se a corrida irá bem ou mal. Tem vários amuletos, pulseiras e nos domingos de corrida, tem uma espécie de ritual com seu manager, onde segundo dizem, cantam!


Nico Rosberg não troca de bota se a corrida anterior vai bem. Dizem que quando ganhou o título da GP2, no pódio, suas botas estavam quase destroçadas.

Alex Wurz sempre usava botas de diferentes cores. Dizem também que evitava dormir com os pés em direção à porta, nos hotéis.

Na categoria das motos, os espanhol Alex Crivillé, ex-campeão do mundo de MotoGp sempre levava com ele uma medalha que ganhou de sua mulher e que "com ela conseguiu" o Mundial. Também reconheceu que sempre se barbeava na noite anterior à corrida e que por muito tempo levou a mesma camisa debaixo do macacão.


Dani Pedrosa evita que seja uma Grid Girl a que segure seu guarda-sol na largada.

Jorge Lorenzo muda de capacete entre a classificação e a corrida dependendo do resultado.

Mas na MotoGp, atualmente ninguém supera as manias de Valentino Rossi. O italiano sempre se veste na mesma ordem. Antes de colocar o capacete, molha os dedos, coça o olho e dá uma conferida no brinco, pra ver se está tudo ok. Se aproxima da moto e se agacha e ali permanece por uns segundos.

Aqui deixo um videozinho pra vocês que conta um pouca mais sobre vários outros pilotos e suas manias. Está em espanhol mas é bem facilzinho de entender.





Fonte:Sport e RacingPasión

8 comentários:

Cara Priscilla:

Como já dizia o grande consultor Antônio Roberto (nosso conterrâneo): SE SUPERSTIÇÃO GANHASSE JOGO TODO ANO O BOTAFOGO SERIA CAMPEÃO. Grande bobagem comete quem leva vida se importando com superstições, mas vale pelo menos pelo lado folclórico.

Yo no creo en brujas, pero que las hay las hay

Oi Pri, amiga, como vai???

O Fernando cantando??? Essa eu ia amar ver... você não tem nem um vídeo exclusivo com uma imagem dessa, Pri??? rsrsrs...

Beijão!

Muito bom esse post. Parabéns!

Dá pra acreditar nisso?
A dupla da Ferrari, um usa a mesma cueca e o outro a mesma meia.

Mas a julgar pela quantidade de azares que aconteceram pros dois esse ano, ambas as peças já devem estar no lixo.

Oi Pri,

Adorei o post e o vídeo! Ainda mais que estou estudando espanhol, é de grande ajuda. =)

Bjos

Fantástico esse post!

Algumas observações:
Moises Solana correu nove GPs, o primeiro deles com o número 13.

Crivillé não foi aquele cara que teve que desistir da carreira porque começou a desenvolver narcolepsia? Em outras palavras, adiantou alguma coisa?

Acho superstição uma bobeira...
Mas respeito quem acredita...
No fundo, acho que, para aqueles que acreditam, funciona como um efeita placebo...
Se ele não fizer vai ficar a corrida inteira lembrando daquilo e perderá a concentração...
Também acho que a FIA deveria alterar a numeração dos carros...
Na minha opinião o piloto deveria correr com o número equivalente à posição que ocupou no ano anterior, sem excessões...
Se parasse seu número deveria não existir e novos pilotos deveria utilizar numeração posterior, pela ordem de inscrição...
Isso em todas as categrias...
E ZERO não é número...

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More