15 de dez de 2007

Kovalainen...


A Mclaren tinha duas opçoes:

"Promover" seu piloto de testes,com experiência,que está a (quase) 5 anos na equipe,que conhece bem cada pedacinho da equipe Mclaren e do carro Mclaren,que nao aspira a fazer sombra ao protegido de Ron Dennis,que nao teria problema nenhum em passar seu setup ao "mais novo."Nao quer briga,só correr...

Ou,contratar o "rebufo"(existe essa palavra em português?) ou "vácuo"(pra nao me enrolar...) do Alonso(rs).Digo isso,porque por 2º vez,o mesmo piloto é cotado para substituir o espanhol.Mas seria um absurdo defini-lo por essa simples frase.Seria desmerecê-lo, e nao é o caso. Foi só um comentário.

Bom,ou "promover" seu piloto de testes ou ascender a um piloto que desbancou Michael Schumacher e Sebastian Loeb de uma só vez na Corrida dos Campeoes em 2004, sem nunca,sequer,ter dirigido um carro de Rally?Melhor assim nao???rs.

Pois eis que a Mclaren fez pouco caso de Pedro de La Rosa(DE NOVO!) e se decantou pelo piloto finlandês Heikki Kovalainen, que terminava seu ano de estréia na F1 na 7º posiçao,à frente de seu companheiro de equipe(que parecia ser o 1º piloto),o italiano Giancarlo Fisichella.

Muitos elogios pra cá e pra lá...

"Tínhamos várias opçoes possíveis e queríamos ter certeza de que seríam os pilotos mais competitivos"
,disse Martin Whitmarsh(acho que isso já excluía a Pedro de La Rosa).

"Até agora,estou muito impressionado com a dedicaçao e o compromisso com a vitória que existe em toda a organizaçao e estou muito emocionado a respeito das nossas possibilidades para o futuro.Como finlandês é uma honra para mim seguir os passos de Mika e Kimi.Nao estive muito tempo com Lewis até agora, mas pelo que sei, acho que trabalharemos bem juntos e faremos o melhor para a equipe.",disse Heikki Kovalainen em entrevista à própria Mclaren.

A verdade é que Pedro tem 36 anos e nenhum resultado expressivo.Como comentei em um post passado,seria a melhor opçao,na minha opiniao,para a Mclaren se é que a coisa é tao discarada em favor do Hamilton.Esse lance de "igualdade" nao cola,nao adianta.Entao porque nao "subir" o piloto de testes??Seria o escudeiro perfeito.Mas,enfim...Foi o "Kova",como eu já imaginava...Eu e mais um monte de gente.Espero que ele dê "jogo" e nao se "desfaça"como fumaça ante a ameaça "Hamilton".

Muita gente(me inclúo) disse que Lewis "fez o que fez"ano passado porque tinha uma Mclaren nas maos.Um ano depois e outro (quase) novato terá a chance de mostrar se essa teoria é certa ou nao.

Eu até que gosto do Kovalainen,sempre sorrindo,simpático...

Agora é esperar pra ver o que faz a dupla dinâmica.

Affff...nao vejo a hora de começar...Chega logo GP da Austrália!!!!!

7 comentários:

Interessante seu ponto de vista, Priscila. O Pedro de la Rosa tem realmente uma importância muito grande na McLaren. Se ele perder a motivação, aí sim a equipe vai ficar no prejuízo. Em condições normais, porém, acho que eu teria escolhido o Kovalainen mesmo. Na minha visão, o finlandês tem muito potencial, e pode até surpreender o Hamilton.

Grande abraço!

Gustavo Coelho

Dessa vou ter que discordar, Priscila.

Primeiro de tudo, eu penso que piloto de testes é piloto de testes, e piloto titular é piloto titular. Se tentarem inverter as coisas, só vai dar prejuízo, foi assim que a carreira do Wurz se encerrou.

E o de la Rosa correndo é uma vergonha. Mesmo com uma Mclaren nas mãos ele não consegue ser rápido, e muito de vez em quando se classificaria para a superpole. Isso ficou nítido em 06, quando a equipe despachou o Montoya e colocou o Pedro em seu lugar.

Igualmente raro seria a frequência de vezes que ele chegaria à zona de pontuação. Escolher o de la Rosa seria sacrificar o mundial de construtores. No de pilotos ele nem ajuda e nem atrapalha, mas no de equipes ele atrapalha com vontade.

Por último e não menos importante, a equipe deve sempre seguir seu estilo, sua filosofia. A McLaren gosta de manter um dupla titular forte, sempre foi assim e é assim que tem que ser, pois esse é o modo que ela sabe trabalhar. Dois pilotos rápidos buscam seus limites e ajudam na melhoria do desempenho. Em 2007 foi exceção, não deu certo, mas os fatores extra-pista também influenciaram negativamente nos resultados.

Creio que Hamilton e Kovalainen formarão um dupla competitiva, não vai haver mais aquela choradeira toda que vimos nessa temporada. Vale lembrar que o Dennis interviu na disputa de Mônaco a favor do Alonso, o que mostra que o Hamilton não era primeiro piloto logo de cara, só passou a ser quando o espanhol começou a fazer ameaças para receber privilégios, ganhando assim o ódio da equipe que antes visava a igualdade, embora simpatizassem mais com o inglês.

A dupla de jovens pilotos tem tudo para dar certo, desde que busquem resultados por méritos próprios, sem querer bater o companheiro no tapetão.

Na minha opinião, Hamilton é um pouco melhor que Kovalainen e pode derrotá-lo em condições de igualdade, que é o modo em que a McLaren trabalha. Foi assim com Senna x Prost, Mika x David, dentre outras famosas duplas que passaram por lá. Em 2007 foi diferente porque o Alonso não aceitou a igualdade e quis peitar todo mundo. Deu no que deu. Mas com Lewis-Heikki a situação vai voltar ao normal, acho que vai dar certo.

Abs

Gostei mt da escolha de Kovalainen pq julgo-o como melhor de todas opções q restavam a Ron Dennis e sua turma, uma vez q o Nico já fechara c/ a Williams. Mas o q + gostei da escolha do finlandês foi q ganhei uma garrafa de JOHNNIE WALKER BLUE LABEL numa aposta c/ amigos,hehehehe.
A F1 VEM FORTE EM 2008, como há mt não se via. Vai ser um deleite p/ nossos olhos.

Hehehehe...Aê Alexandre!!!!Festinha no Apê!!!!hahaah..Parabéns!

Meninos,estou em parte de acordo.

Talvez o texto tenha dado um tom meio que a favor do De la Rosa,mas a intençao era mostrar que o De la Rosa seria talvez a opçao mais segura no sentido "escudeiro",pra mim.

Mas tem sentido o que vcs dizem:De la Rosa nunca teve resultados expressivos.

Porém também nunca teve um carro bom nas maos.
Em 2006,em 6 corridas, nao dá pra tirar uma base pq piloto de testes perde reflexos.Na 4º ou 5º corrida o De la Rosa acordou e fez pódio,sendo um, 2º lugar. Das 6 corridas uns quantos pontos...se nao me engano ele terminou 7º nesse ano( se alguém souber ajude-me!)
Bom,enfim,carro mesmo o De la Rosa nunca teve.Talvez seria a hora da Mclaren apostar,assim como nao sabiam no que podia dar o entao novato Hamilton.
Mas, apesar de tudo, é plausível essa decisao da Mclaren,como vcs citaram,é "filosofia da empresa" ter gente jovem e competitiva.

A Mutua Madrileña,patrocinadora espanhola que poderia dar uma "força" pro De La Rosa,saiu fora,ou seja nem patrocínio salvava e o Kova cá entre nós,começou mal o ano mas se recuperou.Entao ,super normal a escolha da equipe.

Mas nao sei,nao tô lá pra saber.
Eu talvez teria arriscado.

É isso...

Beijos

Sem querer palpitar no que seria melhor, o que observei foi que a McLaren não tinha vontade alguma de colocar o de la Rosa no grid. Acho que o raciocínio, simplificado, seria mais ou menos esse:

Não havendo quem ser "promovido" a piloto de testes, deixe o espanhol porque ali ele sabe o que faz, qualquer mudança de desempenho do De La Rosa dentro da equipe o prejuízo poderia ser duplo.

Até para manter a tradição (e imagem) lembrada pelo Felipe aqui nos comentários, coloca um outro novato com potencial - de grana a gente teoricamente não precisa - que não nos dê tanto trabalho quanto Alonso e que permita apenas a igualdade de condições - sem querer mais do que isso. Não é do interesse alguém submisso, essa não é a McLaren, que sempre aposta em campeões.

Eu me amarrava no tempo do De La Rosa na Arrowns, mas eram outros tempos, hoje, embora eu deteste falar essas coisas, sabemos que ele não seria campeão, não é um piloto de ponta.

Na briga interna da McLaren eu começo o ano torcendo pro finlandês. Como você destacou, é uma figura carismática e fez um bom final de temporada.

Gostei da arte "Blog Guard Rail". Aliás, também gosto do nome!

Abraço!

Eu gostei da escolha da McLaren, nada contra o Pedro.......

Acho que eles preferiram alguém capaz de pressionar Lewis, acho que um companheiro apagado poderia desmotivar Lewis. Com Fernando é o contrário, ele se sente mais à vontade se não houver sombra de ameaça vinda do companheiro. Por isso estou muito curiosa pra ver se as apostas da Renault e da McLaren vão funcionar. Talvez Nelsinho seja ameaça e talvez Heikki pressione demais. Tô torcendo por isso!

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More