26 de nov de 2012

Gp do Brasil

Épico! Como já tinha sido outras vezes. O circuito de Interlagos dá passos agigantados para ser um dos míticos circuitos do calendário da Fórmula 1 graças às disputas que ali se viram e seguimos vendo, como nos últimos anos.

O circuito, em geral, é considerado um dos poucos precários da categoria, mas o que o traçado de Interlagos proporciona, as corridas que ali se vivem, poderíamos dizer que é um dos poucos do calendário que dão.

Assim foi o Grande Prêmio Brasil que terminou com a vitória de Jenson Button e o tri-campeonato de Sebastian Vettel, que contra batidas e tempestades, conseguiu convencer a sorte dos campeões a andar em sua garupa durante as 71 voltas do GP Brasil.

O tempo instável, as variadas estratégias, Safety-Car, situações inesperadas, Hulkenberg liderando na frente das duas Mclarens, enfim...não poderíamos pedir mais.


Jenson Button foi o primeiro a cruzar a linha de meta, terminando o ano como começou, vencendo. Uma temporada com gosto amargo pra ele que, além dos deslizes da equipe, não conseguiu se adaptar em nenhum momento ao carro, ao contrário de um imenso Lewis Hamilton que não disputou o título por única e exclusiva culpa da Mclaren.

Completando o pódio a fantástica dupla da Ferrari. Digo fantástica porque o trabalho que fizeram no Gp Brasil foi realmente de equipe. O trabalho feito por Felipe Massa foi algo que a muito tempo não via. Pilotou muito e ganhou o direito de chorar no pódio.

Porém, impossível dizer que alguém se importava com o que acontecia na liderança quando Fernando Alonso e Sebastian Vettel brigavam por essa tão desejada taça de campeão do mundo. O espanhol fez o que tinha que fazer e o que o carro deixou. Segundo lugar pra ele que tinha metade da equação feita. Faltava saber se Sebastian Vettel a completaria. E completou! Com resultado favorável para o alemão.

E olha que a corrida de Vettel não foi fácil! Se envolveu logo na primeira volta em uma batida com Bruno Senna e Sérgio Pérez, que tiveram seus carros destroçados e abandonaram. Vettel caiu pra último com o carro avariado, mas aí a "Sra. Sorte" disse basta, e não quis mais brincar com o coração do alemão. O carro seguiu em perfeitas condições e, por algumas voltas, já na segunda metade da prova, Vettel perdeu o Mundial para Alonso. Precisamente 4 voltas. O resultado de Alonso não foi suficiente para vencer o alemão que finalmente terminou em 6º lugar, logrando seu terceiro título, e consecutivo.

3 pontos! Apenas 3 pontos fizeram vice-campeão, mais uma vez, ao espanhol da Ferrari.

À parte dessa da briga pelo título, alguns sobreviventes dessa batalha vivida em Interlagos, que terminou com o Safety Car em pista depois da batida de Paul Di Resta na penúltima volta, merecem destaque:


Bonita despedida de Michael Schumacher que por fim pode disfrutar de uma corrida "normal" terminando na zona de pontos depois de 6 corridas sem pontuar. O piloto com mais títulos da Fórmula 1 se despede assim, dessa que foi sua família durante anos e que reconhece sua grandeza e importância.

Nono lugar para Kamui Kobayashi que, de momento, também se despede da categoria. Nos dois anos que compartiu equipe com Sérgio Pérez, Kamui alcançou 90 pontos. 80 foram os alcançados por Sérgio. O japonês fica sem lugar na categoria enquanto o mexicano é promovido à Mclaren. Coisas inexplicáveis do esporte.

Fechando o top10, Kimi Raikkonen que protagonizou a imagem do GP, ou quem sabe da temporada. O finlandês sofreu uma saída de pista e tentou um caminho alternativo -velho traçado- para voltar à pista. Porém, esse caminho era de ida sem volta, pelo que Kimi deu meia volta e retornou à pista por onde chegou. A Pezzolo.tv conseguiu as imagens do acontecido. Surreal!



Assim terminou o GP Brasil da temporada 2012 da F1:

1 – Jenson Button (GBR) - McLaren – 71 voltas 
2 – Fernando Alonso (ESP) - Ferrari – a 2s7 
3 – Felipe Massa (BRA) - Ferrari – a 3s6 
4 – Mark Webber (AUS) - Red Bull – a 4s9 
5 – Nico Hulkenberg (ALE) - Force India – a 5s7 
6 – Sebastian Vettel (ALE) - Red Bull – a 9s4 
7 – Michael Schumacher (ALE) – Mercedes – a 11s9 
8 – Jean-Éric Vergne (FRA) - Toro Rosso – a 28s6 
9 – Kamui Kobayashi (JAP) - Sauber – a 31s2 
10 – Kimi Raikkonen (FIN) - Lotus – a 1 volta 
11 – Vitaly Petrov (RUS) - Caterham – a 1 volta 
12 – Charles Pic (FRA) - Marussia – a 1 volta 
13 – Daniel Ricciardo (AUS) - Toro Rosso – a 1 volta 
14 – Heikki Kovalainen (FIN) - Caterham – a 1 volta 
15 – Nico Rosberg (ALE) - Mercedes – a 1 volta 
16 – Timo Glock (ALE) - Marussia – a 1 volta 
17 – Pedro de la Rosa (ESP) – HRT – a 2 voltas 
18 – Narain Karthikeyan (IND) – HRT – a 2 voltas 
19 – Paul di Resta (GBR) – Force India – a 3 voltas 
20 – Lewis Hamilton (GBR) - McLaren – Abandonou 
21 – Romain Grosjean (FRA) - Lotus – Abandonou 
22 – Pastor Maldonado (VEN) - Williams – Abandonou 
23 – Bruno Senna (BRA) - Williams – Abandonou 
24 – Sergio Pérez (MEX) - Sauber – Abandonou 

3 comentários:

E isso porque foi mutilado com aquele "S" bisonho...imaginem fazerem o antigo traçado com a pista naquelas condições das ultimas voltas.

Claro que o tanto de mimimi que anda a f1, era perigoso termos bandeira vermelha até a chuvinha parar né.

Foi sensacional, Se tivesse um roteiro, não teria sido tão bom.

Aquele merda do Bruno Senna nem competência pra arrancar a roda traseira do Vettel ele teve.
Pô cara, se ia bater fazia uma cagada fenomenal quebrando a suspensão do Sebastião.

kkkkkkkkkkkkkk

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More