27 de nov de 2012

Declarações de Alonso e Vettel, pós GP Brasil

Assim se expressaram os contendentes ao título mundial, que acabou ficando com Sebastian Vettel, em mais um ano de disputa com o espanhol da Ferrari, Fernando Alonso.


Sebastian Vettel: "É difícil imaginar o que está passando pela minha cabeça agora mesmo, estou cheia de adrenalina. Foi uma corrida incrível, tudo o que podia ter acontecido para que fosse mais difícil pra gente aconteceu! Rodei na curva 4 sem sentido e me encontrei em sentido contrário, assim que tive que ir reto e tive a sorte de que ninguém batesse em mim. O carro ficou tocado e perdemos velocidade nas retas, inclusive mais ao secar-se, mas por sorte voltou a chover de novo. Durante todo o fim de semana as pessoas nos queriam levar para uma direção dizendo que se chovia mais seria mais difícil pra gente, mas hoje demonstramos que gostamos tanto das corridas de chuva com as de seco

Estou muito, muito feliz. O mais importante durante a temporada é que seguimos em frente e fomos nós mesmos. Simplesmente tentamos fazer as coisas da nossa forma, seguindo o caminho que conhecemos e foi isso que marcou a diferença. Algumas pessoas gostam de jogar, mas nós nunca nos distraímos, nos mantivemos no nosso caminho. Todo mundo em Milton Keynes e no circuito sempre estão fazendo o máximo e realmente demos um golpe sobre a mesa na segunda metade da temporada.

Queria agradecer a todos da equipe e da Renault. Não existe ninguém nesta equipe que seja mais importante que o resto, todos trabalhamos juntos, unidos, é uma grande força única, e estou muito orgulhoso disso. O que aconteceu é irreal. Ganhar um terceiro título, principalmente aqui, de onde era um dos meus heróis, Ayrton Senna, é difícil expressar em palavras. Estive chorando no carro mas minha rádio não funcionava, assim que talvez até me alegre por isso. Amanha talvez possa dizer algo mais, agora mesmo não tenho palavras".

Fernando Alonso: "Uma luta até o final como sabíamos que ia ser, uma corrida que passou e que teve ingredientes de drama poque saímos com seco, chovia um pouquinho, logo colocamos os intermediários, voltamos a colocar os secos, voltou a chover, e ao final inclusive estava para pneus de chuva extrema.

Tentamos fazer todo o possível, como sempre. Largamos em sétimo e ainda assim voltamos a fazer outro pódio, como fizemos em toda a temporada. Acho que não tínhamos o carro mais rápido e isso foi palpável em todas as corridas. Era um milagre que estivéssemos aqui lutando pelo título e foi um milagre até a última volta, porque graças ao trabalho perfeito da equipe nos encontramos nessa situação e apesar de termos perdido o campeonato hoje, nesse momento, temos que estar orgulhosos de ter sido segundos. Somos vice-campeões do mundo de Fórmula 1, talvez nem todo mundo possa dizer o mesmo e quando se luta com todo o coração que tem, com a toda a força que tem, durante tantos meses e sem cometer nenhum erro, nem eu nem a equipe, acho que temos que estar orgulhosos.

Com certeza o campeonato não foi perdido aqui. Se perdeu quando o Grosjean passa por cima da sua cabeça. Se perdeu no Japão quando, surpreendentemente, Vettel apenas sofreu uma reprimenda depois da classificação. Tivemos situações durante todo o campeonato da quais, com certeza, agora você pensa nesses três pontos, mas, isso é esporte. 

Sempre existe um campeão que tem mais pontos e esse ano, mesmo tendo a segunda posição em pontos, nunca tive o carinho e respeito de todo o mundo da Fórmula 1. Foi a primeira vez que estavam de acordo pilotos, ex-pilotos, equipes, torcedores, da Inglaterra, da França, Alemanha, Espanha em dizer que fizemos o melhor campeonato. Portanto, agradeço a todos o apoio. Voltaremos igual, porque mais forte vai ser difícil, em 2013 e tomara que me acompanhe um pouco mais a sorte e que possamos lutar. Sensação muito, muito boa depois de acabar 2012, o melhor ano da minha carreira e agradecer à equipe e a todo mundo".


Fonte: F1aldia.com/Caranddriverthef1.com

2 comentários:

Ambos mereciam. Quem fosse campeão, seria merecedor. Que ano que vem seja tão bom como foi esse ano.

Esperava muito que Alonso levasse o titulo.
Lutou bravamente com um equipamento inferior.
Infelizmente a dupla da Lotus (que por um "acaso" usa o mesmo motor da Red Bull) de alguma forma alterou o resultado final da temporada.
Grosjean, estabanado, fez um strike na largada da Belgica e tirou Alonso da corrida.
E no Japão, Kimi tentou uma ultrapassagem estranhíssima provocando o estouro do pneu do carro de Alonso.
Só nessas duas corridas foram no minimo, no minimo, uns 8 pontos perdidos.
Falo isso porque o F2012 teve como ponto forte este ano a durabilidade.
Alonso sempre estava na zona de pontuação.
Tivesse Alonso terminado estas duas, ou pelo menos a do Japão, e ele venceria a disputa contra Vettel.
Mas a Renault, parceira da Red Bull, deu um "jeitinho", né?
A cagada da Belgica com o Grosjean eu até deixo passar.
Mas a do Kimi no Japão....
Pra que ele forçaria uma ultrapassagem naquele ponto da curva?
Naquele trecho da curva 1 em Suzuka é muito suja e é por fora.
Muitos carros o ultrapassariam e não valeria nada aquela manobra.
Eu lembro de um depoimento INVEJOSO do Christian Horner, chefão da Red Bull: "Dá raiva ver o Alonso sempre no pódio"
Putz. Não me Inveje, Trabalhe!
Mas ae deram um jeito mafioso pra tirar Alonso da disputa, né?
Afinal, Renault aqui, Renault alí.

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More