14 de mai de 2013

GP da Espanha

Importante vitória de Fernando Alonso em casa, no GP da Espanha. Nunca ninguém tinha vencido este Grande Prêmio saindo de uma posição mais além da 3ª. Alonso largou em 5º e teve uma vitória incontestável.

Grande vitória, importante para o piloto e equipe, por ser em casa e por subir os ânimos de quem pensava que esse ano teríamos mais uma vez um passeio de Sebastian Vettel.

O espanhol venceu a prova nas primeiras voltas. Se colocou 3º já nas primeiras curvas e uma vez que se pôs líder (volta 13) já não foi ameaçado em momento algum da corrida.


Kimi Raikkonen e Felipe Massa foram os outros dois pilotos a subir ao pódio.

Kimi Raikkonen, ao contrário de Fernando Alonso não teve um bom início de corrida. Perdeu muito tempo atrás de alguns adversários e isso lhe tirou qualquer possibilidade de brigar pela vitória, e mais com um Alonso/Ferrari impecável em ritmo e estratégia. De qualquer forma, Raikkonen atinge o recorde de Heidfeld de 22 corridas pontuando. É o vice-líder do Mundial a apenas 4 pontos de Vettel.

O terceiro colocado, Felipe Massa, também fez uma excelente corrida, demonstrando ritmo e que os problemas com os pneus começam a ser solucionados. Massa largou em 9º, depois de ser punido durante a classificação do sábado. Já era 6º na primeira volta, com importantes ultrapassagens. Importante também o primeiro pit stop do brasileiro que se adiantou as rivais e ganhou segundos de vantagem. O bom ritmo do carro e um melhor tratamento aos pneus ajudaram a Felipe a se manter com possibilidades de pódio durante todo o tempo. Superou com grande vantagem a Vettel e apenas Alonso e Raikkonen lhe superaram em rendimento.

Sebastian Vettel chegou a liderar a prova depois de superar a Nico Rosberg mas a degradação dos pneus por parte dos Red Bull nao está sendo nada fácil de administrar por pilotos e equipe. A última parada tardia de Vettel em boxes sentenciou o alemão à 4ª posição, logo a frente de seu companheiro de equipe.

Webber, que largou em 7º (Vettel em 3º), conseguiu superar uma largada ruim e o mesmo problema de Vettel com os pneus. Obviamente, terminou a corrida muita mais contente com o resultado que seu companheiro de equipe.

Nico Rosberg, o pole position, aguentou o que pode e terminou em 6º lugar. Fez um trabalho de conservação de pneus muito melhor que seu companheiro, Lewis Hamilton. É sabido o problema da Mercedes com a degradação excessiva dos pneus durante a corrida mas em Barcelona alcançou seu ápice de queda de rendimento. Rosberg conseguiu manter uma estratégia de 3 pit-stops enquanto Hamilton teve que mudar de estratégia e fazer 4.


O sétimo colocado foi Paul di Resta, com o Force India. As atualizações levadas pela equipe para o GP espanhol surtiram efeito e com o 7º lugar de Di Resta a equipe consegue se manter como 5ª melhor equipe do Mundial de Construtores. opções

Jenson Button salvou alguns pontos para a equipe Mclaren depois de largar muito atrás (14º). Não só ele! Button e Pérez fizeram 8º e 9º. Primeira vez que ambos pilotos pontuam na mesma corrida. Os dois pilotos reclamaram muito da falta de agarre dos pneus.

Fechando o top 10, Daniel Ricciardo, que termina mais uma vez na zona de pontos, apesar dos problemas de aderência e freios que enfrentou durante a prova.

Assim terminou o GP da Espanha:

1) Fernando Alonso (ESP/Ferrari)
2) Kimi Raikkonen (FIN/Lotus)
3) Felipe Massa (BRA/Ferrari)
4) Sebastian Vettel (ALE/Red Bull)
5) Mark Webber (AUS/Red Bull)
6) Nico Rosberg (ALE/Mercedes)
7) Paul Di Resta (ESC/Force India)
8) Jenson Button (ING/McLaren)
9) Sergio Pérez (MEX/McLaren)
10) Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso)
11) Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber)
12) Lewis Hamilton (ING/Mercedes)
13) Adrian Sutil (ALE/ Force India)
14) Pastor Maldonado (VEN/Williams)
15) Nico Hulkenberg (ALE/Sauber)
16) Valtteri Bottas (FIN/Williams)
17) Charles Pic (FRA/Caterham)
18) Jules Bianchi (FRA/Marussia)
19) Max Chilton (ING/Marussia)
Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso)
Giedo van der Garde (HOL/Caterham)
Romain Grosjean (FRA/Lotus)

6 comentários:

Por ser em Barcelona até que foi uma corrida boa...
Só que tudo ocorreu em função dos pneus...
Está na hora disso mudar...
Essa pista continua uma m333rd@@@@@@...

B'Hengler, mas no fim das contas tudo acontece por algo. Esse ano os protagonistas estao sendo os pneus, outro ano foi a aerodinâmica, no outro o KERS, no outro o efeito solo "dissimulado" e por aí vai...

Se tem que fazer 20 paradas, dane-se! Façam os 20 pit-stops e parem de chorar!

Barcelona é sempre Barcelona: Um saco! Depois da metade da prova...ZZZzzzzZZZZ

Parece que vai mudar essa história de pneus-farofa nas próximas corridas. E precisa mudar mesmo...

Basta ver que a volta mais rápida foi do Gutiérrez com uma Sauber. Ele foi 0,5s mais rápido que Alonso e Raikkonen e quase 1s mais rápido que Vettel e Webber.

Nas últimas 10 voltas, o pensamento dos pilotos e equipes deveria ser mais ou menos esse:

Alonso: Agora é só administrar para
não desgastar os pneus nas últimas voltas e ganhar a corrida.

Raikkonen: Nem adianta forçar o ritmo, pois se fizer isso não terei pneus em condições de subir ao pódio.

Massa: Se eu tentar atacar o Kimi acaberei destruindo meus pneus nas últimas voltas e serei engolido por quem vier atrás.

Vettel: Queria pisar fundo, mas não posso, pois poderei acabar com meus pneus e terei que recorrer ao multi21...

Resumindo: A vitória do Alonso se concretizou naquela dupla ultrapassagem na 1ª volta. A corrida acabou ali.

Eu também acho, Guilherme. Nao tanto na primeira volta, mas nas 15 primeiras sim.

O que eu nao entendo é o chororô. Quero dizer, os pneus esfarelam? sim! mas esfarelam pra todos! Se uma equipe tem que fazer 5 pit stops a outra também e se quiser arriscar vai fazer 4 ou vai tentar 6 pra ser mais rápidos, enfim...mas é o que há. Se minha equipe fez um carro em que os pneus se adaptam melhor que no seu carro, problema é seu. Entende o que quero dizer?

Nao sei pq tem que mudar pneu agora. A Pirelli fez 78324563297856293847 mil testes antes da temporada começar, nao sabia que os pneus esfarelavam? O.O

O problema é que existe uma limitação de pneus disponíveis para a corrida. Não adianta tentar fazer 5 ou 6 paradas com o intuito de melhorar o rendimento do carro, pois terão que usar pneus usados do sábado.

Seria melhor que o pneu fosse mais resistente, para 2 ou 3 paradas, e talvez evitaria termos que ver as últimas 10/15 voltas sem praticamente nenhuma disputa por posição, sendo que a diferença beirava os 15s de um piloto para o outro. Ninguém podia arriscar nada porque não havia como.

PS: A melhor volta da corrida foi com Gutiérrez, de Sauber, na volta 56, numa corrida que teve 66 voltas.

Acho que essa questão dos pneus é como a Pri falou, mas concordo o Guilherme (RJ) que tem que mudar isso...

Na minha opinião a escolha do pneu deveria ser livre para 2 dos 4 tipos existentes, livre escolha por piloto... Além disso o pneu mais duro deveria durar a prova toda...

Seria interessante a disputa por estratégias...

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More